Sou uma pessoa ambiciosa, criativa e muito prestativa.

As mulheres da minha geração, foram educadas para estudar, ter uma carreira profissional, serem mães e donas de casa. Super-mulheres, portanto. Cresci com essa crença, e por isso licenciei-me e especializei-me em Auditoria Financeira, atingindo o topo de carreira em 2002.

Dezassete anos depois, entrei num processo de autoconhecimento, concluindo que não conseguia voltar ao escritório que ajudei a fundar.

Decidi apostar na moda, setor que sempre acompanhei.
Durante a minha renovação, procurei seguir tudo sobre moda, acompanhando, sobretudo, através das redes sociais. E foi nesta altura que surgiu a inscrição no curso de Consultoria de Imagem e Personal Shopping, na Fashion School.

Este foi o ponto de viragem na minha vida.

Começou por ser uma ocupação de tempos livres, transformando-se em algo renovador e estimulante. A Consultoria de Imagem era o novo mundo que se abria para mim!

Este projeto vai muito além da consultoria de imagem, perseguindo a missão de sensibilização para a necessidade de escolhas responsáveis e sustentáveis ao nível da moda. Assim, criei a marca Cristina de Almeida® que quero ver reconhecida como consultoria especializada em moda sustentável, com elevado valor acrescentado, individual e socialmente.

A minha missão é, servindo de inspiração, valorizar a autoestima, abrilhantar o estilo, e guiar quem me procura, na busca de uma menor pegada ecológica.
Na consultoria de imagem, posso ajudar quem não está bem com a sua imagem a encontrar o seu eu e a transmiti-lo através das corretas escolhas vestimentares. A imagem é ainda causa de problemas de autoestima e falta de auto-confiança, que podem ser resolvidos com a orientação profissional quanto às melhores escolhas, contribuindo para pessoas mais felizes.
Aliar a isto uma missão de sensibilização para a sustentabilidade e responsabilidade social, de forma convicta, mas não fundamentalista, é um desafio gigante.
Com o meu blog GIRL IN SLOWFASHION, pretendo motivar as pessoas a mudar o seu comportamento de consumo de moda, partilhar opiniões e informações que permitam escolhas mais conscientes.
A minha marca GREENIN’, de artigos de moda, será uma alternativa no mercado sustentável - “não olhes para o que eu digo,
olha para o que eu faço” - para os mais céticos.
Quero acabar com o preconceito de que a moda é supérflua e demonstrar que, através desta, pode-se fazer pessoas felizes, iniciar reformas e mudar mentalidades.